Quantcast
Transporte de passageiros

Hidrogénio faz caminho para se tornar ‘tecnologia’ do transporte de passageiros no presente

Com o mundo em transição energética para combater a produção de gases com efeito de estufa, muita da transformação neste sentido está a acontecer no segmento dos transportes. Com várias tecnologias em desenvolvimento, o hidrogénio tem feito um caminho mais ou menos lento de entrada no mercado, mas poderá estar a dar o seu pontapé de saída em termos de escala, agora, na Europa.

A Euroactiv partilhou recentemente um artigo onde explica que, em França, o hidrogénio está já a ser testado no setor do transporte de passageiros, com a frota local de táxis a adotar esta tecnologia. Com “cerca de um terço (31%) das emissões de gases de efeito estufa em França a emanarem do setor de transporte em 2019”, defende o CEO da Hype, Mathieu Gardies, que esta poderá ser a tecnologia do futuro: “O hidrogénio fornece eficiência operacional real para usos intensivos aleatórios, como táxis.”

 

Para se ter uma ideia do potencial desta tecnologia, em termos de desempenho, estes táxis podem competir com os motores de combustão, pois são capazes de percorrer 500-700 quilómetros antes de precisarem de um reabastecimento, o que leva apenas cinco minutos.

Com França a dar passos no sentido da adoção desta tecnologia em larga escala, o país aprovou recentemente uma lei que torna obrigatória a renovação de frotas de mais de 100 unidades com uma quota de veículos de baixa emissão. Isso equivale a 10% da frota até 2025 e 35% até 2029, transformando estas frotas em frotas de veículos elétricos ou a hidrogénio. Os veículos com táxi e motorista são particularmente visados.

 

“O hidrogénio é o combustível ideal para táxis por causa do longo alcance, uso intensivo e curto tempo de recarga”, defendeu Bart Biebuyck, CEO da Clean Hydrogen Partnership citado pela EuroActiv.