Quantcast
Transportes de passageiros

Citroën apresenta nova imagem de marca e logótipo

Citroën apresenta nova imagem de marca e logótipo

A Citroën apresentou hoje, dia 27 de setembro, uma nova imagem de marca corporativa e um novo logótipo, numa altura em que acelera o objetivo de tornar a mobilidade elétrica acessível a todos e alarga o seu ADN nas vertentes de acessibilidade, audácia e bem-estar dos clientes.

O visual reinterpreta o logótipo original adotado por André Citroën, o fundador da fabricante de automóveis, inspirado na sua primeira empresa metalomecânica que fabricava sistemas de engrenagens no formato de chevron (em “v” ou em “espinha”) e, desde então, na identidade da Citroën tem permanecido o símbolo “deux chevrons” (duplo chevron).

 

O logótipo da Citroën, na sua décima renovação desde a formação da empresa em 1919, apresenta, de acordo com o comunicado,” (…) chevrons mais amplos e proeminentes, contrastados e rodeados por uma estrutura oval vertical mais suave”.

Para além do logótipo, foi desenvolvido um novo programa de identidade corporativa e está a ser concebida uma linguagem animada para integrar a identidade dentro do veículo, nos ecrãs HMI e na aplicação My Citroën.

 

A identidade será economizadora de energia e será livre de crómio, de modo a aumentar a sua reciclagem.

O logótipo vai ser complementado com uma paleta de cores, segundo comunicado,” (…) fresca e simplificada”, com um lettering a partir das atuais fontes da Citroën e duas cores de assinatura vão ser introduzidas e aplicadas em detalhes e áreas específicas.

 

A cor Azul Monte Carlo irá regressar, num futuro próximo, ao portfólio de automóveis e o tom Vermelho-Infra vai substituir o tom de vermelho usado atualmente.

O emblema estreia-se num veículo conceptual familiar da Citroën que será desvendado no final deste mês e, a partir de meados do próximo ano, versões do logótipo vão surgir, progressivamente, nos modelos de produção e nos concepts da empresa.

Subscreva a nossa newsletter e não perca os principais projetos em termos de mobilidade na cadeia de abastecimento.