Quantcast
Supply Chain

Três etapas para ultrapassar os constrangimentos na cadeia de abastecimento

iStock

Com muitas empresas a serem afetadas, direta ou indiretamente, pelos constrangimentos gerados na cadeia de abastecimento fruto da pandemia de Covid-19, o mundo, no seu todo, tenta recuperar o tempo perdido. Agora, com perspetivas de melhoria da situação no horizonte, há alguns passos que, segundo o site Supply Chain Brain, podem ser dados para ultrapassar as dificuldades sentidas.

Segundo o explicado por esta publicação, existirão três etapas fundamentais para resolver quaisquer problemas gerados neste âmbito, sendo que a primeira será a estabilização das operações.

 

Assim, defendem os responsáveis por este site, que será, nesta fase da resolução de problemas, acautelar as situações em baixo explicitadas:

O primeiro passo é resolver a crise em questão, analisando as áreas atuais onde houve interrupção da cadeia, medindo os impactos de curto e longo prazo desses danos e implementando as iniciativas abaixo para descentralizar a sua cadeia de abastecimento:

  • Use dados para medir vulnerabilidades na cadeia de abastecimento
  • Dê prioridade às partes da sua cadeia que são mais relevantes para produtos de alta margem ou estrategicamente importantes
  • Desenvolva um ecossistema de cadeia de abastecimento de várias camadas para peças cruciais
  • Invista em iniciativas de descentralização, dispersando-se por vários locais geográficos
 

A segunda etapa é a digitalização de processos. Assim, se as suas operações digitais não forem fortalecidas agora, a sua organização quase certamente continuará a ter problemas com a cadeia de abastecimento no futuro. Depois de estabelecer as suas principais necessidades de dados e de processos analíticos, aumente esta capacidade aplicando inteligência artificial para ajudar a prever resultados e avaliar lacunas na cadeia de ou volatilidades de custos dos bens necessário para apresentar o produto final aos consumidores.

A última fase deste plano consiste é preparar a sua empresa para o futuro. Assim, aconselham os responsáveis do Supply Chain Brain, que “depois de digitalizar os mecanismos da cadeia e os automatizar adequadamente, precisamos de recorrer a tecnologias emergentes como a Internet das coisas (IoT), combinadas com serviços de operações globais contínuos, para monitorar tendências e reagir rapidamente quando ocorrerem interrupções. Comece realizando estas ações principais:

  • Estabeleça uma equipa de serviços de operações globais que monitorize e melhore ativamente os processos da cadeia
  • Audite e atualize modelos de IA para os ajustar para eventos futuros de “cisne negro” ou volatilidades extremas de custo de commodities e insumos.
  • Desenvolva continuamente novas formas de gerir melhor os riscos e garantir que os planos de contingência estejam atualizados
  • Construa redes de distribuição “inteligentes” secundárias e terciárias de forma proativa