Quantcast
Supply Chain 4.0

Software as a Service: Logística e transportes mais eficientes e otimizados

iStock

As soluções de Software as a Service (SaaS) estão hoje ao alcance de todas as empresas de logística e transportes, conseguindo torná-las mais eficientes a nível económico e mesmo ambiental. Venha com a LOGÍSTICA&TRANSPORTES HOJE visitar o que está a ser feito em Portugal.

Há vários anos que a digitalização entrou no vocabulário de muitas empresas, trazendo mais celeridade nos processos e eficiência em termos operacionais. A pandemia decretada devido à Covid-19 veio, contudo, acelerar o processo de transição digital de muitas empresas e a logística e transportes é disso exemplo.

 

Assim, nos últimos meses, soluções de Software as a Service (SaaS) têm ganhado espaço no dia-a-dia das empresas e aparecem como uma resposta eficaz para um crescente e-mercado.

Jorge Pérez, consultor de desenvolvimento de negócio da Visual Trans, defendeu, num aritgo publicado num jornal espanhol, que o setor da logística e dos transportes tem vários desafios para ultrapassar no futuro próximo, nomeadamente a adaptação a mudanças imprevisíveis e a resposta às necessidades de aumentar a capacidade e a agilidade para responder de forma eficiente aos clientes e fornecedores; melhorar a competitividade ao mesmo tempo que se reduzem custos e aumentar capacidade de planeamento de forma eficiente e otimizada e, por fim, não esquecer, a sustentabilidade, que será palavra de ordem para os próximos anos.

 

Assim, descreve o especialista, “a aposta numa logística inteligente pode dar resposta a grande parte destes desafios. As empresas que estão a tirar partido das novas tecnologias destacam-se no mercado, aumentando a competitividade e a sua rentabilidade”.

As soluções SaaS no mercado são já variadas. Podem incluir controlos de custo da frota, otimização de rotas, gestão do armazém, de stocks, entre outras funcionalidades. Numa visão mais ampla, a utilização de um software de gestão de toda a cadeia de distribuição vai ainda permitir reduzir a pegada a carbónica, colocando assim a tecnologia ao serviço do meio ambiente.

 

Pedro Gordo, Supply Chain Business Manager da Generix, em resposta à LOGÌSTICA&TRANSPORTES HOJE, pormenoriza que “o SaaS tem uma enorme importância na logística e transportes, pois permite implementar projetos de forma mais rápida, evitando custos de investimento inicial e garantindo flexibilidade, escalabilidade e fiabilidade superiores às modalidades convencionais”.

Segundo o mesmo responsável, “o SaaS dá uma resposta efetiva aos principais constrangimentos e imperativos com que as operações se deparam diariamente. Estas vantagens são particularmente importantes num contexto de pandemia como o que vivemos, permitindo ultrapassar dificuldades como a distância, a falta de acessibilidade, ou restrições de contacto entre as pessoas”.

 

Mariana Jota, Strategy Manager, e Filipe de Almeida Jandi, Business Development Specialist, ambos da Vonzu, acrescentam que “o ainda tradicional setor da logística e dos transportes encontra-se hoje frente a frente com uma importante mudança de paradigma, uma revolução introduzida pela aceleração tecnológica e grandemente apressada pela pandemia, e à qual não pode fugir se se quiser manter relevante.”

Tal como observado noutros setores mais convencionais que estão hoje na vanguarda da inovação, torna-se imprescindível para as empresas incorporarem tecnologia para que possam responder às necessidades do mercado e serem competitivas. A utilização do SaaS neste setor permite às empresas esta importante digitalização, e aparece como resposta às necessidades deste novo e-mercado, que pela sua mesma génese exige soluções mais eficientes. Hoje, quem não tem tecnologia, muito provavelmente já está a perder negócio.

Soluções para grandes e pequenos

A adoção da tecnologia ficou durante muitos anos associada a elevados custos de implementação e, inclusive, de manutenção ao longo da sua utilização. Por isso, muitas vezes se associa a implementação de soluções mais inovadoras às grandes empresas que trabalham volumes elevados de mercadoria. Mas não tem de ser assim.

De acordo com Pedro Gordo, da Generix, “as soluções SaaS foram inicialmente pensadas para responder às volumosas e crescentes exigências e necessidades das empresas de maior dimensão. Mas a realidade mostrou que a modalidade SaaS se adapta a todas as empresas e aporta muitos benefícios, independentemente da dimensão da empresa e área de negócio.” O mesmo responsável comenta ainda que, muitas vezes, a dificuldade maior a ultrapassar é cultural. “Nas empresas de menor dimensão, existe por vezes uma questão cultural a ultrapassar”, disse.

A cloud (possibilidade de armazenamento de dados na chamada nuvem, ou seja, sem investimento em servidores próprios) veio permitir esta democratização no acesso à tecnologia e a estas soluções.

Mariana Jota e Filipe de Almeida Jandi, da Vonzu, salientam que as soluções SaaS que oferecem são “vantajosas para qualquer empresa (independentemente da sua dimensão e setor) que faça entregas ao cliente final e que tenha necessidade de otimizar os seus processos internos e/ou monitorizar em tempo real o estado das entregas realizadas pelos diversos parceiros logísticos.”

O que incluem estas soluções?

Implementar um SaaS numa empresa pode ser um processo altamente personalizado. Esta é uma das grandes vantagens destas empresas que disponibilizam este serviço, além de que têm soluções que otimizam toda a cadeia logística da empresa.

Uma solução SaaS pode incluir servidores, backups, disaster recovery, manutenção aplicacional, suporte 24/7, incorporação de novas funcionalidades, entre outros serviços. A Generix, por exemplo, além destas funcionalidades permite ainda “ativar e desativar novos processos e atividades logísticas, acomodar picos de atividade e outros imprevistos, ajustando-se à dinâmica típica da área da logística e transportes”, detalha Pedro Gordo.

A Vonzu descata a possibilidade de redução de custos com as suas soluções. Mariana Jota e Filipe de Almeida Jandi comentam que “ao otimizar as rotas de distribuição e automatizar processos manuais e de pouco valor acrescentado, as empresas conseguem reduzir custos e ter mais tempo disponível para outras tarefas”, acrescentando que “existe um ganho intangível, que não deve ser menosprezado, e que está relacionado com a alocação a tarefas menos burocráticas e repetitivas por parte dos colaboradores, e que vai ser medido, não só no desempenho da empresa, mas também no nível de satisfação do cliente”.

Estas soluções podem ter várias funcionalidades como por exemplo a gestão de frotas e condutores, ter uma visibilidade em tempo real das entregas numa única plataforma, gerir o armazém, ter portais colaborativos para os clientes, fornecedores e transportadoras e ainda faturas eletrónicas.

Os responsáveis da Vonzu explicam que “ao integrar toda a cadeia de fornecimento é possível dar visibilidade em tempo real e controlo das operações aos diversos agentes envolvidos no processo de entrega (retailer/marca, operador logístico, cliente final). Além disto, permite uma total transparência acerca das operações e do desempenho dos operadores logísticos envolvidos. É importante mencionar também que esta integração na supply chain é essencial para otimizar todo o processo de comunicação entre as empresas envolvidas, e assim permitir uma operação cada vez mais eficaz e digital, que seja facilmente escalável.”

Por seu turno, Pedro Gordo, da Generix, comenta que “existem vantagens de custo, eficiência interna e global da cadeia, resultado da colaboração entre parceiros e concorrentes. Há também uma superior responsabilização do fornecedor relativamente ao bom funcionamento da solução, permitindo ao cliente focar-se no seu negócio. O SaaS garante um funcionamento otimizado e a atualização permanente do software, facilitando a implementação de novas funcionalidades”.

Um caminho para a sustentabilidade

A otimização de todos os processos, sobretudo, os que estão relacionados com o transporte acrescenta ainda outra mais-valia: coloca as empresas no caminho da sustentabilidade. Conseguindo ter um algoritmo de otimização das rotas, as empresas conseguem reduzir o número de quilómetros percorridos e o número de veículos a circular nas estradas porque será possível maximizar a sua capacidade de carga. Menos carros em movimento traduz-se numa redução de emissão de gases com efeito de estufa.

Outro aspeto curioso prende-se com a utilização da prova de entrega digital que contribui para reduzir a utilização de papel, uma solução também ambientalmente menos sustentável.