Quantcast
Sustentabilidade

“Não há transições pacíficas”

“Não há transições pacíficas”

O plano de mobilidade da cidade do Porto vai apostar fortemente na descarbonização, mas não haverá transformação “sem dor”, avisa Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto, na abertura do MobLab Congress, esta manhã (6 de julho) no Porto.

O autarca partilhou a sua visão sobre o novo modelo de mobilidade sustentável, que passará pelo investimento na oferta em mais transportes públicos com base em soluções limpas, inovadoras e inclusivas. Rui Moreira defende sistemas flexíveis que possam fazer chegar esta oferta a locais com pouca cobertura de rede de transportes, de forma a promover a coesão territorial e frisa que a atratividade dos jovens é determinante para o sucesso da adesão. Mas, avisa, “não há transições pacíficas” e é preciso apostar na mudança de hábitos porque “as pessoas não vão aderir só porque queremos”.

 

Velocidade, conforto e fiabilidade são essenciais nesta equação, mas será a gratuidade no acesso aos transportes públicos para jovens até 18 anos que irá dinamizar a mudança de hábitos: “Durante a minha juventude utilizei os transportes públicos para ir para a escola, os meus filhos não o fizeram, mas espero que os meus netos o façam e os bisnetos vão certamente fazê-lo”.

O MobLab Congress é o congresso de referência na área da mobilidade sustentável em Portugal e vai juntar os profissionais do setor durante dois dias (6 e 7 de julho) no Museu do Carro Elétrico, no Porto.

 

Transição energética, economia azul, logística urbana e abastecimento sustentável e intermodalidade e cidades inteligentes são os temas em destaque neste evento.

Saiba mais aqui.