Quantcast
Supply Chain 4.0

Devolução: O maior desafio da logística após o boom de e-commerce?

iStock

Um relatório da Appriss Retail que analisou as devoluções no Estados Unidos lança dados muito concretos sobre o ‘lado negro’ do boom de e-commerce verificado fruto da pandemia de Covid-19. Segundo o divulgado por esta consultora num trabalho realizado para a NRF, quase 17% das vendas do retalho passam por um processo de devolução, contabilizando 761 mil milhões de dólares.

Para se ter uma ideia, o número de devoluções no retalho subiu de 10.6% (face ao total de vendas), em 2020, para 16,6% no ano passado, sendo que no segmento online os números foram de 218 mil milhões de encomendas devolvidas face aos 1.050 biliões de dólares comercializados.

 

Porém, há ainda outro problema. Cerca de 23,2 mil milhões de encomendas foram consideradas devoluções fraudulentas. No total, e em média, por cada mil milhões de bens vendidos, 166 milhões foram contabilizados como bens que os consumidores devolveram as lojas.

“Como as vendas totais no retalho continuam a acelerar devido à procura sustentada do consumidor durante a pandemia, não é surpresa que a taxa global de devoluções também tenha sido afetada”, disse Mark Mathews, vice-presidente de desenvolvimento de pesquisa e análise do retalho da NRF.

 

“Embora os retalhistas tenham indicado que estão a sentir um aumento nos itens devolvidos nas lojas e no online, a vantagem é que este procedimento oferece oportunidades adicionais para os retalhistas se conectarem ainda mais com os clientes e proporcionar uma experiência positiva”, sintetiza o mesmo responsável.